quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Cocktail do Dia - BLUE OCEAN

Ingredientes:
10 cl de Gin
10 cl de Blue Curacau
1 cl de Água Tónica
Gelo Picado

Decoração:
1 Rodela de Laranja
1 Cereja Vermelha
Hortelã q.b.

Preparação:
Coloque os ingredientes num shaker com gelo picado e agite bem.
Distribua a mistura obtida por copos e preencha com água tónica.
Decore com a rodela de laranja, a cereja e a hortelã.

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Portuguese Bulldog Bartender of the Year 2013

A Bulldog Gin, em parceria com a Empor Spirits, distinguiu no final do mês de Outubro de 2013, o algarvio Fábio Alves como "Portuguese Bulldog Bartender of the Year 2013", premiando-o com uma viagem a Nova Iorque na Companhia de Vohra, CEO da Bulldog Gin.

O concurso, pioneiro em Portugal, teve inicio em março e tem planos de expansão a outros mercados, prevendo uma final mundial em 2014. 

A grande final contemplou quatro fases que exigiram dos seis semi-finalistas a preparação de cocktails exclusivos e a recriação do cocktail de autor que os apurou para o concurso.

O júri foi composto por Anshuman Vohr, CEO da Bulldog Gin, Caetano Beirão da Veiga, CEO da Empor Spirits, a chefe de cozinha Justa Nobre, o especialista em bebidas, o Prof. Fernando Brito e Nuno Côdea, brand ambassador da Bulldog Gin em Portugal.


(www.gintastingportugal.com)

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Entrevista da Semana - Paulo Silva


Esta semana mais uma entrevista a um aluno da nossa escola. 

O escolhido da semana foi Paulo Silva.
O Paulo já se deslocou diversas vezes a Massamá, vindo da Covilhã, para tirar alguns dos nossos cursos. O percurso do Paulo pela nossa escola começou recentemente, em Dezembro de 2012, com o Curso de Introdução ao Flair Bartender e o Curso de Elaboração de Cocktails. Nesta altura, além destes dois cursos, o Paulo tem ainda no seu curriculum o Curso de Working Flair, o Curso Master Gin e o Curso Master Whisky.

Vamos ver o que o Paulo tem para nos dizer:


 Paulo neste momento onde estás a trabalhar? Que funções estás a desempenhar?

Trabalho no Chemistry, na Covilhã, sou o responsável do bar. Costumo ainda fazer algumas acções noutros locais para promoção de bebidas.


Com que idade tiveste o primeiro contacto com o bar e como começou o gosto por esta profissão?

Comecei a fazer serviço de bar por volta dos 18 anos em alguns empregos de Verão e mais tarde com a frequência de discotecas e bares fui criando o bichinho. A curiosidade levou-me mais tarde a trabalhar nos bares e discotecas, onde conheci muitos barmans que me ensinaram muito do que sei hoje.


Porque decidiste estudar na Cocktail Team?

Depois de vários anos a trabalhar na noite fui descobrindo que precisaria de formação para me adaptar melhor às funções e aprender tudo de início porque percebi que faltava muita coisa para me poder chamar de Barman... Um dia fui surpreendido por uma demosntração através de uma marca de bebidas, a Safari, em que um dos barmans era o Hugo Silva, que logo me falou da Cocktail Team, dos cursos que tinham e que deveria frequenta-los se tivesse oportunidade pois eu não fazia ideia do quanto poderia melhorar o meu trabalho. Assim, mais tarde, surgiu a oportunidade e contactei a Cocktail Team para aí frequentar os cursos disponíveis e melhorar a minha formação.


De que forma a Cocktail Team contribuiu para o teu futuro?
Contribuiu em muito pois fez-me descobrir outra parte do Bar que eu não conhecia: a Criação de Bebidas, a maneira de as apresentar e até a própria constituição e fabrico que desconhecia. 
Agora sinto-me preparado para trabalhar em qualquer sitio.


Quais os teus planos para o futuro?

Continuar com a formação. Talvez trocar os bares e discotecas por um serviço de bar num Hotel pois acho que teria mais facilidade em mostrar todos os conhecimentos e bebidas. Neste momento as casas nocturnas estão limitadas aos prazeres da moda e da publicidade e é muito difícil convencer tanto os patrões como os clientes a apostarem noutras bebidas e noutro tipo de serviço pois normalmente existem contratos com marcas e litragens para atingir. Já não falando no preço das bebidas que tendem a ser cada vez mais baratas, o que nos limita muito no nosso serviço.
Que pessoas tens como referência no mundo do Bartending (nacionais e internacionais)?
Nacionais tenho o Prof. Francisco Guerreiro, Nelson Bernardes e o nosso Hugo Silva pela energia. Internacionais tenho o italiano Francesco Leoni e o Argentino Christian Delpech.



Que conselho darias a um jovem que gostaria de entrar no mundo do Bartending?
Aconselhava primeiro a procurar formação e depois a ter muita humildade e sacrifício porque estar atrás de um balcão não é para todos.


Qual o teu Cocktail preferido?
Sou um admirador de Rum e sem dúvida os Daiquiris são uma boa opção, simples e saborosos, mas qualquer Cocktail desperta um sentimento diferente, pois isso é difícil escolher só um.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Cocktail do dia - BBC

Ingredientes:
3 cl de licor de natas
2 cl de leite de côco
7 cl de sumo de ananás
1/2 banana
gelo q.b.

Decoração:
1 triângulo de ananás
1 cereja vermelha

Preparação:
Coloque todos os ingredientes num liquidificador com gelo partido. Triture até obter um preparado homogéneo. Sirva a bebida num copo longo (highball), decorado com o triângulo de ananás e a cereja vermelha.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Um pouco sobre.... CHRISTIAN DELPECH


CHRISTIAN DELPECH nasceu em Buenos Aires, a 25 de Fevereiro de 1977. Nunca sonhou ser um dos Bartenders mais famosos e bem sucedidos a nível mundial. Na adolescência esteve mais interessado em Publicidade e Marketing a qualquer outra carreira. Em 1995, trabalhando num bar de um amigo em Buenos Aires, viu o filme "Cocktail", no qual Tom Cruise e Bryan Brown se tornam famosos em Nova York por lançar garrafas e fazer algumas brincadeiras. Este filme mudou a vida de Christian para sempre.


"Cocktail" inspirou Christian a seguir o Flair Bartending. O "Flair" não era popular na Argentina, por isso ele foi forçado a praticar apenas através dos movimentos que aprendeu com o filme. Continuou a praticar arduamente absorvendo tudo o que podia para usar atrás do bar. Foi um processo difícil para ele, já que havia muito poucos flair bartenders em Buenos Aires.

Completamente apaixonado pela arte do Flair, Christian percebeu de tinha de agir rápido para melhorar as suas habilidades e desenvolver a sua vocação. Assim sendo, em 1998 e com apenas 400 dólares na carteira, mudou-se para Espanha. Primeiro foi morar para Tenerife, nas Ilhas Canárias, depois mudou-se para Madrid onde começou a praticar magia. A magia teve um grande impacto em Christian, tal como o Flair. Ela praticava mais magia do que praticava flair.

Pouco tempo depois Christian muda-se para Ibiza. Praticava religiosamente magia e flair até que teve a primeira oportunidade de expor as suas habilidades em bares e restaurantes. Contudo, mesmo estando em Ibiza, onde as casas nocturnas estão abertas 24h, ele teve dificuldades em encontrar bartenders com quem partilhar os seus conhecimentos e aprender mais.

Em Dezembro de 1999, estava Christian de férias em Miami, deparou-se com uma competição organizada pela FBA (Flair Bartender's Association) para escolher o melhor bartender do mundo. Infelizmente era tarde para poder participar na competição. Neste momento Christian viu-se numa encruzilhada: continuar a dividir o seu foco entre a magia e o flair ou comprometer-se totalmente com o Flair Bartending? Ele escolheu o Flair.

Poucos meses depois Christian participou numa Competição de Bartending no seu país natal, a Argentina. Foi a sua primeira Competição no Hard Rock Café, em Buenos Aires e conseguiu o segundo lugar (ficando em primeiro lugar na prova de Exhibition Flair).

Nesse mesmo ano participou noutras competicões internacionais como a Universal Summit (Orlando) e a Road House (Londres) não tendo ganho nenhuma delas.

Regressou à Florida (Orlando) para participar na competição que tinha visto no ano anterior: "Quest for the Best". Todos estes anos de dedicação finalmente trouxeram resultados: ganhou o primeiro lugar na categoria semi-pro. Devido à sua inesperada vitória e excelente desempenho, Christian foi convidado pelo Campeão Mundial de Flair Bartender, Ken Hall, para participar na mais prestigiada competição, apenas para convidados: Legends of Bartending. Foi um sonho tornado realidade e ele aceitou com entusiasmo.

Christian muda-se para Cancun, no México, para se preparar para a maior competição da sua vida enquanto trabalhava como barman. Após três meses de trabalho árdou e muito treino, ele viaja para Las Vegas para competir no Legends.

Após quatro provas e dois dias esgotantes a competição estava limitada a Christian e a outro bartender mais experiente que lhe ganhou três das quatro provas: Speed Round, Working Flair e Pour Test. A faltar uma última prova (Exhibition Flair), Christian sabia que teria de deslumbrar os juízes para ganhar e foi o que ele fez. Deslumbrou os juízes e ganhou o primeiro lugar no maior e mais prestigiado concurso de bartending do mundo. Paixão e determinação levaram-no à vitória. O seu movimento, combinando estilo com suavidade (que conseguiu, em parte, através do estudo ma magia), tornar-se-ia na sua imagem de marca.

Escusado será dizer que tinha sido uma vitória inesperada. Com a ajuda do prémio em dinheiro que ganhou nesta competição, Christian participou nas próximas quatro grandes competições, ganhando três delas, incluindo a Roadhouse Grand Final. No mesmo ano, ainda em Las Vegas, visitou "The Voodoo Lounge" no  Rio Hotel&Casino Suits e o "Carnaval Court" em Harrah's, ficando encantado com a beleza de um verdadeiro bar de flair.

Ouvindo rumores da abertura de mais um bar de flair no Caesars Palace chamado "Shadow Bar" decidiu tentar conseguir trabalho lá.
Um mês mais tarde, após regressar a Las Vegas e ser contratado para trabalhar no "Shadow Bar", Christian teve a oprtunidade de melhorar a sua arte trabalhando num autêntico bar de flair. Ele ficou lá durante um ano, até ganhar novamente a competição Legends of Bartending. Nesse momento recebeu a proposta de ir trabalhar para o "Carnaval Count", considerado o melhor bar de flair do mundo, a qual não hesitou em aceitar.

Hoje em dia, com 19 primeiros lugares em competições mundiais e mais de 50 primeiros lugares em competições por todo o mundo, Christian ainda se encontra a trabalhar no bar do "Carnaval Count". Ele trabalha quatro dias por semana no bar e passa o restante tempo com o seu filho e a trabalhar na sua empresa ChristianDelpach.com LLC, fazendo eventos, demonstrações, treinando equipas, dando seminários, etc.

Christian credita todo o seu sucesso na sua determinação e no seu foco e continua a praticar a cada chance que recebe.

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Entrevista da Semana - André Fialho


Após oito anos a formar alunos e com uma carteira de mais de 1000 alunos que passaram pela nossa escola, a Cocktail Team foi ver o que estão alguns dos nossos alunos a fazer neste momento.

Como primeiro entrevistado temos André Fialho, rumou a Massamá vindo de Faro para tirar o seu primeiro curso na Cocktail Team em Dezembro de 2007. Nesta altura o André já frequentou três dos nossos cursos: Curso de Introdução ao Flair Bartending, Curso de Working Flair, e Curso de Gestão e Controlo de Bar.

Vamos ver o que o André está a fazer neste momento:


André neste momento onde estás a trabalhar? Que funções estás a desempenhar? 

No Património que é um Club em Faro e no Castelo, um Lounge e Restaurante na Cidade Velha de Faro, ambos como Bartender. 


Com que idade tiveste o primeiro contacto com o bar e como começou o gosto por esta profissão?

A minha mãe trabalhava em hotelaria e desde muito cedo (5 ou 6 anos) eu ia ter com ela, ainda hoje me lembro de como ela me dizia que era importante nós tentarmos dar sempre o que o cliente quer. Aos 17 anos, nas férias do secundário, à procura de um trabalho de Verão acabei por encontrar um bar na Praia de Faro, o Havana onde trabalhei o Verão todo como Waiter e às vezes, das 12h às 13h podia ficar atrás do balcão (ainda tirei umas imperiais). E penso que o gosto começou aí mesmo, tinha sempre uma pergunta a fazer ao bartender com que eu trabalhava e cada vez mais me apercebi que o liquido que havia dentro daquelas garrafas não era assim tão simples como imaginava, ainda hoje faço perguntas e ainda hoje descubro coisas novas.


Porque decidiste estudar na Cocktail Team?

A Cocktail Team entrou na minha vida quando fui convidado a entrar num projeto que carecia mais conhecimento do que aquele que eu tinha, na altura não se fazia nada pelo Algarve e nas buscas pela Internet encontrei a Cocktail Team que era a única escola que explicava tudo o que faziam e o porquê, de uma forma muito transparente e clara e na altura pareceu-me a escolha mais indicada, e hoje seu que foi.


De que forma a Cocktail Team contribuiu para o teu futuro?

A Cocktail Team ajudou-me a conhecer um mundo que eu só conhecia pela capa e desenvolveu em mim a capacidade de querer aprender sempre mais sobre aquilo que faço, foi de facto um grande alicerce para a minha carreira como Bartender.


Quais os teus planos para o futuro?

A verdade é que não os tenho, acabei de chegar de uma aventura de 6 meses pelas Caraíbas e Mediterrâneo a bordo de um cruzeiro como bartender e ainda não quis pensar muito no futuro porque me agrada muito aquilo que faço no presente.


Que pessoas tens como referência no mundo do Bartending (nacionais e/ou internacionais)?

A nível nacional o Prof. Fernando Brito para mim é um dos melhores devido à sua dedicação e como eu constumo dizer é o Homo Universalis do Bar. Depois muitos outros com quem aprendi, Hugo Silva, Prof. Ricardo Encarnação, a equipa do Cinco Lounge, Sommelier Jorge Santos, a equipa do Columbus Bar em Faro e de certo me estou a esquecer de uma dezena deles. A nível internacional não são muitos, apenas aqueles com quem trabalhei, Junior Merino - The Liquid Chef e Philip Duff - Bols.

Que conselho darias a um jovem que gostaria de entrar no mundo do Bartending?

Talvez roube o concelho que a minha mãe me deu e daria a esse jovem, a verdade é que é maravilhoso quando alguém nos faz as vontades todas e é nesse aspecto que acho que o bartender se devia focar "no que é que o cliente quer" e "no que é que eu posso melhorar para lhe dar o que ele quer com melhor qualidade possível" a partir daí conseguimos encontrar as soluções muito mais facilmente e claro a formação contínua.


Qual o teu cocktail preferido?

Por acaso não tenho, costumo dizer que um bartender com uma bebida preferida é como se tivéssemos um pulmão ou uma perna preferida, haha, mas se tiver que escolher algo talvez um Old Fashion ou Whisky Sour.


segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Cocktail do Dia - BRONX

Ingredientes:
3 cl de Gin
1,5 cl de vermute tinto doce
1 cl de vermute seco
1,5 cl de sumo de laranja natural
5 pedras de gelo

Preparação:
Verta todos os ingredientes num shaker com as pedras de gelo e agite energicamente.
Com o passador de cocktails, coe para uma taça de cocktail e sirva de imediato.

Site Cocktail Team

Site Cocktail Team
Site Cocktail Team